Propostas

Propostas

25 RAZÕES PARA VOTAR EM WAGNER KAMACHO


Segurança Pública


16 - Parceria com Associações de Moradores de forma virtual
Alguns programas de integração com agentes de segurança com participação da população em alguns bairros tem sido um sucesso e pode ser estendido para todo o Estado.
17 - Parceria com comércio no monitoramento por câmeras de segurança
Não é novidade para ninguém que estamos cercados de câmeras por todos os lados. E quando acontece algum delito, muitos estabelecimentos não fornecem as imagens por medo de represália ou desanimam pelo trâmite que tem que passar ao registrar a imagem. Nosso projeto visa levar o agente de segurança pública até o local para coletar as imagens e facilitar o dono do estabelecimento.
18 - Atenção especial aos agentes de Segurança Pública
Existe várias ares para se investir na segurança pública, e a prioridade é investir no agente. São os que mais necessitam do Estado, pois servem a população com a própria vida. Atualmente temos uma baixa de 40% de Policiais Militares de efetivo nas ruas. Nossos agentes devem ser priorizados no atendimento médico e jurídico.
19 - Mapa de incidência criminal com participação popular
Vemos muitos mapeamentos com diversos números que, em algumas situações, não refletem a realidade local. A tecnologia apresenta diversas formas para que essa participação da população aconteça para validar os números, e até mesmo, na montagem do mesmo.
20 - Promover a Recuperação dos Espaços Públicos
Hoje não existe um dado Estadual dos locais inutilizados pelo Estado e as Prefeituras. Isso impede que muitos projetos culturais e esportivos sejam apresentados por não saber a situação do espaço abandonado. A informação e o detalhamento precisa ser público.

Projetos Sociais


21 - Fiscalização à destinação de verbas das Secretarias do Esporte, Cultura e Educação
Nosso Estado respira e transpira Esporte. Não conheço outro Estado com tanto potencial esportivo quanto o nosso RJ. São poucas as Universidades que desenvolvem um trabalho esportivo educacional. Vemos que em outros Estados em nosso país essa cultura é mais valorizada e desenvolvida. O Estado pode e deve proporcionar formas de incentivar as universidades a desenvolverem projetos modelos.
22 - Valorização do Profissional/Professor em Projetos Sociais
Vemos uma realidade tão triste com professores de projetos que, além de não ganhar, pagam do seu próprio bolso para manter o projeto. Tornar o professor um modelo a ser seguido, é tirar o referencial ruim que existe nas comunidades dando ao professor uma visibilidade de sucesso e modelo a ser seguido. Precisamos de referenciais para a juventude e o professor geralmente é o primeiro a se tornar esse referencial. Mas quando ele vê que seu professor passando necessidade, a mensagem que é transmitida é que o esporte não vale a pena. Isso precisa ser mudado.
23 - Profissionalização do Futebol Americano no RJ.
Nosso Estado foi pioneiro no Futebol Americano em nosso país. Hoje vemos que vários Estados desenvolveram o esporte e paramos no tempo. Existem empresas querendo patrocinar (inclusive estrangeiras) e o Estado precisa entender a necessidade da profissionalização para fomentar a visibilidade, investimento e valorização do esporte que mais cresce no país.
24 - Incentivo à investimento da iniciativa Privada aos projetos
Quando falamos em esporte no país pensamos no futebol. Mas assim como o futebol movimenta um alto número de investimentos, existem vários esportes e desportos que geram interesse do público. E onde existe demanda, existe investimento. O Estado precisa, legalmente falando, facilitar o investimento privado ao esporte e aos atletas. Incentivar empresas a investir no esporte é investimento na sociedade.
25 - Projetos de integração as Secretarias de Esporte, Educação e Cultura
O que aconteceu com as UPPs é uma prova de que deve existir uma integração das secretarias. Hoje vemos que existem bons trabalhos de formas isoladas que poderiam ser potencializada se houvesse uma participação de uma outra secretaria. Isso significa que o interesse é na população e não na visibilidade que o projeto irá trazer. Além de ser bem mais eficiente, é mais barato se investir assim.